top of page
  • jupautilla

REPETIÇÃO




O esforço para não repetir modos de agir que perpetuam ações opressivas. A repetição como modo de escuta e fala. Concomitâncias possíveis. É necessário ver e perceber nossas ações no mundo. Perceber em que situações somos privilegiados e/ou subalternizados. Algumas relações de poder são cambiáveis, outras estão impressas na vida de maneira que parecem não mudar. Ao tomar consciência da nossa condição, da nossa história de vida e nossas relações sociais, podemos nos implicar em mudanças. E não é uma resposta à angústia de ter que resolver o problema, mas criar perguntas a partir da nossa posição. Um caminho ético. Repetir pra não repetir ou a cada repetição a possibilidade de produzir diferença?

A colonialidade/capitalismo é um sistema que não tem uma perspectiva de fim, porque transmuta de acordo com o tempo histórico, e a lógica do capital tem muita estratégia. O que tem me ajudado é pensar em caminhos onde eu mude a perspectiva, percebendo os privilégios que contribuem com a normalidade paralizante, ouvindo/lendo outras perspectivas, abrindo uma escuta mais radical. E você? Me conta.

(A imagem é de Xavier Bou, que capta em fotografia o movimento de pássaros)

Posts recentes

Ver tudo

Comentarios


bottom of page